Autlook Film Sales Boards CPH: DOX entrada ‘Era uma vez em uma floresta’


Casa do médico especialista Vendas de filmes Autolook recuperou as vendas globais do filme finlandês “Era uma vez na floresta”, antes da sua estreia mundial na competição principal do cinema de Copenhaga. CPH:DOX festival. Variedade está lançando seu trailer (abaixo).

O filme, dirigido e produzido por Virpi Suutariele pegou os 15.000 dólares Prêmio de lançamento de documentário da Al Jazeera no último Marché du Film em Cannes.

“Estamos orgulhosos de seguir o trabalho de Virpi Suutari”, diz Salma Abdalla, CEO da Autlook Film Sales, com sede em Viena, responsável pelos filmes anteriores do diretor “Aalto” e “Garden Lovers”. “Com a sua linguagem cinematográfica distinta, Virpi cria um retrato oportuno de uma geração que constrói a relação mais bela e responsável com a nossa economia, a natureza e outros seres humanos.”

Na verdade, o filme é uma ode à natureza, às maravilhas das antigas florestas de coníferas e aos animais da floresta finlandesas, e aos jovens apaixonados que lutam para protegê-los.

O interesse de Suutari em trazer para a tela a candente questão ambiental da preservação florestal foi despertado por uma questão muito pessoal e prática. “Há dois anos, quando minha mãe morreu, herdei uma pequena floresta. Isto é muito comum na Finlândia, onde existem cerca de 600 mil proprietários florestais privados”, explica. Variedade.

“Juntamente com minha irmã começamos a discutir o que deveríamos fazer: cortar, vender ou manter? Depois, ao mesmo tempo, li o livro ‘Despertares: Como me tornei um ativista ambiental’, de Juha Kauppinen. Esse livro foi uma revelação para mim”, diz Suutari, que começou a pesquisar movimentos florestais populares. Em seguida, concentrou-se no movimento de rebelião florestal Extinction Rebellion, fazendo dos jovens ativistas Minka e Ida seus dois principais protagonistas.

“Ida era uma jovem fascinante de 22 anos, um jovem gênio parecido com Greta Thunberg, com uma mente estratégica, enquanto Minka, que acabava de descobrir as maravilhas da floresta, tinha um talento natural diante das câmeras, como uma estrela do cinema!”

Em “Era uma vez…” acompanhamos mulheres jovens e os seus amigos activistas enquanto lutam contra a indústria florestal, o sistema político e uma ideologia profundamente enraizada que, desde o pós Segunda Guerra Mundial, colocou a floresta no centro. A prosperidade económica da Finlândia, segundo Suutari.

Ao mesmo tempo, imagens sensuais e poéticas tiradas pelo diretor de fotografia da natureza Teemu Liakka (“Conto dos Gigantes Adormecidos”, “A Jornada de Renas”) observam as jovens mergulhando na natureza, brincando com girinos ou nadando com poleiros.

“Desde o início quis unir a política com a poesia e a intimidade”, explica o cineasta. “Na Finlândia (e em muitas partes do mundo) há muito preconceito em relação aos ambientalistas. Portanto, era importante atrair os espectadores para este mundo natural de beleza, para fazê-los compreender porque é que estes jovens são ativistas e qual é o motivo da sua luta.”

Suutari acrescenta: “Tendo atingido uma certa idade, eu realmente precisava deste filme para me lembrar o que significa ser jovem, radical, ousado e corajoso”.

A cineasta finlandesa espera que o seu filme alimente o debate sobre a preservação das florestas na Finlândia, onde 90% das florestas são para uso comercial, uma realidade que está a ser questionada pela estratégia de biodiversidade da UE que visa proteger 30% da terra e dos mares até 2030.

“O tema [of biodiversity] “Está a tornar-se cada vez mais urgente em todo o mundo”, acrescenta Suutari, para quem “Era uma vez…” reflecte os sentimentos de ansiedade, e até de dor, das gerações mais jovens sobre o efeito das alterações climáticas no nosso planeta.

Tal como acontece com seu filme anterior “Aalto”, Suutari colaborou com a compositora Sanna Salmenkallio e o notável editor Juho Rautaniemi, recentemente creditado por “Compartment No. 6” e pelo drama da BBC “Alice & Jack”.

O filme foi produzido pela Suutari Euphoria Film, em coprodução com a Al Jazeera e a emissora pública finlandesa Yle. O B-Plan cuidará do lançamento na Finlândia em 28 de março.

A programação CPH:DOX da Autlook Film Sales também inclui o documentário norueguês vencedor de Sundance e Gotemburgo, “Ibelin”, que está sendo exibido na seção Society:Cinema.



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here